Como infecções hospitalares podem ser evitadas?

Tempo de leitura: 3 minutos

O termo infecção hospitalar engloba qualquer tipo de infecção que o paciente adquira ao ser internado (ou até mesmo após sua alta). Entre os microrganismos causadores dessas infecções, as bactérias são os mais preocupantes! Isso se deve a resistência adquirida por certas bactérias a antibióticos, o que impossibilita o tratamento dos pacientes. E vai além disso, a resistência das bactérias dificulta a limpeza do ambiente com produtos de limpezas tradicionais, o que aumenta o número de infecções por contaminações cruzadas. Por conta dessa alta resistência, essas bactérias costumam ser chamadas de superbactérias

As principais bactérias que preocupam a OMS: 

Acinetobacter baumannii 
Sobrevive em superfícies secas por até um mês. Acomete o trato respiratório dos pacientes hospitalizados.  

Pseudomonas aeruginosa 
Prefere lugares úmidos, sendo encontrada normalmente em pias, soluções hospitalares antissépitcas e receptáculos de urina. A infecção pode ocorrer em locais como pele, ossos, olhos, trato urinário e pulmões. 

Enterobacteriaceae 
Essa grande família de bactérias causa problemas como pneumonia, infecções na corrente sanguínea e meningite. 

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a infecção hospitalar é o evento adverso (algo não intencional) que mais mata nos hospitais em todo o mundo! E o cenário tende a piorar quando o assunto são superbactérias, com o número de mortes por ano subindo de 700 mil para 10 milhões, a partir de 2050. Sendo assim, combater este problema é fundamental, e envolve desde a mudança de simples hábitos, como a higienização das mãos feita de forma correta, até aplicação de novas tecnologias para o ambiente hospitalar.  

Tecnologia como solução para segurança do paciente 

O controle de bactérias e do risco de infecções hospitalares já é algo possível graças a nanotecnologia. Os aditivos nanoestruturados da S³nano possibilitam a eliminação das colônias de bactérias presentes em superfícies contaminadas em poucos minutos, e a maior inovação é que essas nanopartículas podem ser aplicadas em diversos tipos de materiais, como têxteis, polímeros e tintas.  

Já pensou que os tecidos que compõem os uniformes e as roupas de camas hospitalares como protagonistas no combate às infecções? Agora que já imaginou os tecidos, pense que as paredes dos hospitais podem ser pintadas com tintas que contém nanopartículas bactericidas, tornando o ambiente ainda mais protegido.  

Saiba que esses são alguns exemplos dentre muitos possíveis! Existem muitas outras formas de aplicação dos aditivos S³nano, e se deseja saber mais sobre e qual é mais adequada ao seu produto, entre em contato com nossa equipe de especialistas.  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

EnglishPortugueseSpanish

Receba nossos materiais exclusivos em seu e-mail