Nanoprata: nova aliada no combate às pragas agrícolas

Tempo de leitura: 4 minutos

O agronegócio é uma potência da economia brasileira! Em 2020, esse segmento foi responsável por 26,6% do PIB Nacional. Além disso, temos um grande impacto na economia do globo, visto que o Brasil é o quarto maior produtor mundial grãos, com 239 milhões de toneladas produzidas em 2020. [1,2] Os destaques vão para a soja e o milho, que bateram recordes de colheita. [3]

Frente a essa hegemonia do agronegócio, nós já comentamos em detalhes no nosso blog a importância desse setor, bem como as principais problemáticas enfrentadas pelo segmento agro e como a nanotecnologia pode contribuir para a sua evolução. O texto na íntegra pode ser conferido aqui!

Entretanto, dentre os inúmeros desafios e abordagens dentro do universo agro, um ponto certamente merece atenção: as pragas agrícolas! Elas são responsáveis por causar redução do volume de produção, prejuízo a qualidade dos produtos e, em certos casos, dizimação de cultivos inteiros.[4]

Combate às pragas e os agrotóxicos

De acordo com a Embrapa, os agrotóxicos são produtos ou agentes destinados ao uso nos setores de produção, armazenamento e beneficiamento de produtos agrícolas. Eles são incorporados aos processos com o objetivo de alterar a composição da flora ou da fauna visando preservá-la da ação danosa de seres vivos considerados nocivos, as chamadas pragas agrícolas.[5]

Ou seja, os agrotóxicos são utilizados para preservar os produtos agrícolas contra as pragas. Apesar das inúmeras discussões relacionadas ao tema, é através deles que suprimos as demandas atuais do setor. Porém, devemos ter cuidado com o uso indiscriminado!

De acordo com a ONU, por exemplo, até o ano de 2030 o Brasil poderá se tornar o maior exportador mundial de produtos agrícolas. Como consequência, nosso país é também o maior consumidor de agrotóxicos. Logo, devemos alcançar a otimização dos processos com o equilíbrio entre o combate eficiente às pragas e o uso racional de agrotóxicos. Nesse cenário, a nanotecnologia surge uma proposta inovadora e extremamente eficaz![6]

Por que usar nanotecnologia?

A aplicação de nanotecnologia no agronegócio é uma demanda em ascensão. Ela pode ser empregada em quase todos as vertentes deste segmento e não é à toa que, de acordo com a Embrapa, o agronegócio é uma das áreas onde o Brasil pode ter maior competitividade em nanotecnologia.[7]

Além disso, o uso da nanotecnologia no campo e na lavoura pode ser essencial para que a agricultura consiga suprir as demandas futuras. Entre as inúmeras vantagens, pode-se citar a capacidade de aumentar a qualidade e rendimento das safras, atuar no combate às pragas e reduzir a produção de passivos ambientais causados pelos químicos tradicionais.[8]

Essa diminuição de passivos está associada a uma importante característica da nanotecnologia: alta eficiência.[7] Mesmo quando aplicados em baixa concentração, os compostos nanotecnológicos atuam de forma eficaz, contribuindo com os princípios da agricultura de precisão.[8]

Nanotecnologia na agricultura de precisão.

Nanoprata no combate às pragas

Entre os sistemas nanoparticulados, as nanopartículas de prata destacam-se, entre outros fatores, pela sua capacidade de atuar como agente antimicrobiano. Ou seja, um único composto pode agir como bactericida, virucida, fungicida e nematicida, auxiliando no combate às pragas e doenças que assolam as plantações. Não é à toa que a nanoprata é um dos materiais mais promissores para a agricultura! [7,8.9]

Outra característica relevante é que atividade biocida da nanoprata engloba bactérias gram-negativas, gram-positivas, fungos, além de vírus envelopados, não envelopados e outras pragas. Sua ação eficaz não permite a instauração de qualquer tipo de resistência microbiana, impedindo a reprodução de superbactérias. Além disso, a tecnologia S3nano traz para o mercado um aditivo seguro ao operador com zero citotoxicidade, hipoalergênico e dermatologicamente testado. Confira alguns resultados presentes na literatura:

AçãoMicrorganismoPlantação afetadaAção da nanoprata
AntifúngicaCorynespora cassicolaSojaAlcance de aproximadamente 99,9% de eliminação segundo testes in vitro.[10]
AntibacterianaPantoea anamatisMilhoEfeito bactericida observado em ensaios in vitro. [11]
AntiviralTomato spotted wilt virusBatataEfeito inibitório de 87,5% ao pulverizar nanoprata 24 horas após a inoculação do vírus em mudas infectadas de batata![12]

Além da proteção, aumento de produção

Além da ação biocida e nematicida, as nanopartículas de prata influenciam expressivamente no crescimento e desenvolvimento da planta. Aspectos como germinação, razão raiz-parte aérea e crescimento da muda são significativamente melhorados.[13] Como consequência, juntamente com a redução de perdas, é possível observar resultados positivos na produtividade.

Para plantações de soja (Glycine max), por exemplo, estudos realizados em campo demonstraram um incremento de 4,6 sacas por hectare em comparação com sistemas de fungicidas convencionais. Na ocasião, combateu-se a ação da mancha alvo (Corynespora cassiicola) e foi constatado um aumento na produtividade de 8,2 sacas por hectare quando comparado a testemunha (sem tratamento)!

Já para plantações de milho (Zea mays), o incremento constatado foi de 3 sacas por hectare em comparação com os sistemas convencionais. Os estudos conduzidos em campo, na região do Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), também demonstraram um aumento altamente expressivo com acréscimo de 23,8 sacas por hectare quando comparado a testemunha!

Se a sua empresa é produtora de insumos agrícolas e está procurando se destacar no mercado com produtos mais eficientes, entre em contato com a nossa equipe de especialistas descubra como implementar nanotecnologia no seu processo!

[1] CNA. PIB do agronegócio tem crescimento recorde de 24,31% em 2020. 2021. Disponível em: https://www.cnabrasil.org.br/noticias/pib-do-agronegocio-tem-crescimento-recorde-de-24-31-em-2020. Acesso em julho de 2021.
[2] TRICONTINENTAL. Análise sobre a produção de carnes no Brasil. 2020. Disponível em: https://thetricontinental.org/pt-pt/brasil/analise-sobre-a-producao-de-carnes-no-brasil/. Acesso em julho de 2021.
[3] PONTES, Felipe. Conab prevê produção recorde de grãos na safra 2020/21. 2020. Disponível em: https://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2020-10/conab-preve-producao-recorde-de-graos-na-safra-202021. Acesso em julho de 2021.
[4] CEPEA. Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada. Mensuração econômica da incidência de pragas e doenças no Brasil:: uma aplicação para as culturas de soja, milho e algodão. Piracicaba: Cepea, 2019. 12 p.
[5] Empraba. Agrotóxicos. Belo Horizonte: 2019. 12 pg.
[6] SOARES, Joice. Brasil é o maior consumidor de agrotóxico do mundo. Jornal da USP. Disponível em: https://jornal.usp.br/atualidades/brasil-e-o-maior-consumidor-de-agrotoxico-do-mundo/. Acesso em: 15 maio 2022
[7] MATTOSO, Luiz H. C.; MEDEIROS, Eliton S. de; MARTIN NETO, Ladislau. A REVOLUÇÃO NANOTECNOLÓGICA E O POTENCIAL PARA O AGRONEGÓCIO. Revista de Política Agrícola, São Paulo, v. 14, n. 4, jul. 2005.
[8] Nanomaterials 2020, 10, 1654; doi:10.3390/nano10091654
[9] Alaa Y. Ghidan, Tawfiq M. Al Antary. Applications of Nanotechnology in Agriculture. 2020.  IntechOpen, 10.5772/intechopen.88390.
[10] L. T. A. Nhien, N. D. Luong, L. T. T. Tien, L. Q. Luan. Journal of Nanomaterials, vol. 2018, Article ID 7121549, 9 pages, 2018.

[11] MAMEDE, Morgana Coelho. DETECÇÃO DE Pantoea ananatis EM SEMENTES DE MILHO E NANOPARTÍCULAS NO CONTROLE DA BACTÉRIA IN VITRO. 2018. 78 f. Dissertação (Mestrado) – Curso de Agronomia, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2018.
[12] SHAFIE, Radwa M.; SALAMA, Azza M.; FARROH, And Khaled Y.. Silver nanoparticles activity against Tomato spotted wilt virus. Middle East Journal Of Agriculture Research. Egito, p. 1251-1264. dez. 2018.
[13] Jhanzab, H.M. et al. International Journal of Agronomy and Agricultural Research. 2015,7, 15–22.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

EnglishPortugueseSpanish

Receba nossos materiais exclusivos em seu e-mail